A Noite

21.30. Hora de ir prá cama. Olho as meninas dormindo mais uma vez, vou para o quarto, deito e me aconchego no Marido.

21.33. O Marido já dorme profundamente. Incrível!

21.40. Esqueci de preparar a mamadeira com água para a Caçula. Vou para a cozinha e na volta aproveito para checar a fralda mais uma vez. Tudo em ordem, volto para a cama.

22.00. A Primogênita aparece do lado da minha cama, de camisola branca e cabelo desgrenhado cobrindo o rosto, parecendo coisa de filme de terror. Levo o maior susto e grito. Ela pede para ir dormir com a irmã e eu digo ok. O Marido continua dormindo.

22.15. Tomara que a bebê durma pelo menos até as 2 da manhã. Quase quatro horas seguidas de sono seria um sonho… zzzzzzz…

23.30. Mamaaaaaaaaa! Estava dormindo tão profundamente que achei que já era de manhã. Pelo menos ainda é ‘cedo’. Vou para o quarto da Caçula e vejo a Primogênita dormindo espaçosamente bem no meio do colchão, e a bebê atravessada em cima da cabeça da irmã. Ajeito as duas, e como continuam dormindo, volto prá minha cama.

00.15. Buaaaaaaaaaa! Mamaaaaaaaaaa! Lá vou eu de novo. Ofereço água, não quer. Chora baixinho, resmunga. Deito junto no colchão, afago suas costas. Ela está cansada, quer dormir, mas algo a está incomodando. Pego-a no colo e levo para o quarto da Primogênita. As noites em que passo pelas três camas são as piores.

… Chora, acorda, chora, dou beijo, canto, esfrego as costas, dorme, acorda. Até que solta uns pums e parece dormir de vez.

2.00. Volto para minha cama e zzzzz…

2.50. OOOOOOOOINC! Jezuismariajosé! Pulo da cama com o ronco do Marido! Não é possível! A Caçula lá no outro quarto também acorda e chora. Com a delicadeza de um elefante, viro o Marido de lado – que continua dormindo – pego o meu travesseiro e fecho a porta, pois sei que não voltarei para minha própria cama mais.

3.00. Dorme, bebê, dorme. Pelamordedeus, dorme… Ah, a mamadeira de água ficou no outro quarto. Busco, volto, troco a fralda. Ela bebe um pouquinho e dormimos juntas.

4.10. Allaaaaaaaaaaahu Akabar! E lá vem o Adhan. Hora dos muçulmanos fazerem sua primeira prece. Allah é grande e meu sono também. Todos continuam dormindo em casa. Ok, se eu conseguir dormir agora ainda terei duas horas de sono até o alarme despertar.

4.30. Vou ter que dirigir mais de 100 km hoje, terei que corrigir quase 100 redações. Preciso dormir, preciso dormir. Pelo menos mais um pouquinho… zzzz

5.15. Mama, mama, mama, mama! Pelo tom energético já sei que é game over. Sem chance de voltar a dormir. Alcanço o tablet e ponho a Galinha Pintadinha. Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado…

5.30. Cansou da Galinha Pintadinha. Quer acordar e brincar com o resto da família. Nada mais justo. Vai até o nosso quarto, abre a porta e vai cantarolando: Papa, papa, papa, papa! Fico olhando. O Marido acorda, dá um sorriso, beija a bebê, olha o relógio, se espreguiça e resmunga:

‘Estou tão cansado…’

boy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s